Melodias que enchem a alma

31 março 2007

Não seria pedir muito...


E ali estavas tu...
Adormecido no meu colo
Dependente de mim
Dos meus carinhos
Dos meus cuidados
Da minha atenção
Dei-te tudo...
Todo o meu amor
Um amor sem fim!
Ensinei-te
Acompanhei-te
Guiei-te
Dei-te tudo o que tinha
E o que não tinha...
E agora
Porque me rejeitas assim?
Não te cobro nada...
Só queria um pouco de consolo
Um pouco de consideração
Afinal
Sou o ser que te deu a vida
Sem mim
Não serias nada!
Estarei a pedir muito?

32 comentários:

sony disse...

Olá Cleo,
ao ler-te pareceu-me que algo te incomoda, é a segunda vez que te leio algo parecido com rejeição, não sei se será a palavra certa, não sei se te referes a ti como mãe que és!
Se esta escrita é acerca de ti ou não,não sei, mas por vezes estes ditos bébés que tanto amamos lhe demos a dita vida...têem um tempo de crescer!
Um tempo de crescer que por vezes a certas alturas da vida tudo lhes parece complicado e chato, até mesmo e principalmente as mães!
Por vezes até um beijo de uma mãe em frente à escola quando os vamos levar de carro,onde é visto pelos colegas da turma , esse beijo que para nós é tudo para eles nasce um problema!
Apenas porque perante os amigos pensa que parecerá coisa de criança pequena...e o que não será ele a tua criança? Não é verdade! Talvez mesmo adultos serão sempre as nossas crianças!
Dá o tempo certo, para que a cada momento tenha para ele o seu devido valor!
Engraçado hoje a minha mãe por não ter tido muito tempo para lhe dar a devida atenção...penso que sentiu exactamente o que escreveste aqui!
Um beijo grande a todas as mães...principalmente a ti e à minha querida mãe!
Um bj de uma filha que não é mãe! sony

O JACARÉ 007 disse...

A vida é tudo menos simples.
Alguém perguntou, um dia, no seu blogue, "o que é o amor"? Poucos lhe respondemos...
Será que não sabemos o que é o amor?
Ou apenas temos pudor de responder?
Um beijo para ti e alto astral é o que te desejo.

VICIO disse...

há alturas na vida que temos que prender palavras e gestos... esta é uma delas!
não te posso tirar as lagrimas mas posso dar-te sorrisos!

beijo meu!

Vladimir disse...

as voltas da vida....Como era sábado, o Vladimir inspirou-se e decidiu dar forma ao pensamento.

Caçadora_de_sonhos disse...

Acho que é o ciclo estranho da vida. Os filhos. são sempre os nossos bébés...mas também álguns de nós não fizemos o mesmo que agora tanto nos choramos por nos terem feito?

mago dos sonhos disse...

Saudações!

Palavras nostálgicas o Mago encontrou, aqui. O ciclo da vida, neste momento envolve-te, pois, tal como nós um dia o fizemos, também agora, eles vão crescendo e neste percurso tentam tornar-se independentes. Os pais muitas vezes, sentem-se magoados, ou melhor, um pouco desprezados com estas atitudes, que até são normais nos adolescentes. Falo por experiência própria. Espero que possa ter ajudado, minha amiga, mas também não tenho a certeza, se é mesmo contigo que esta situação se está a passar. Se não, perdoa-me por ter errado.

Sonhos Mágicos

Lu@r disse...

Não te sintas assim porque tenho a certeza que deixas marcas por onde passas.

Sei isso pelo que leio, envolvo-me nas tuas palavras e tento chegar a uma conclusão...Tento te conhecer interiormente e acho que és uma pessoa maravilhosa e emotiva.

Escreve que isso vai ajudar a libertares os pensamentos mais obscuros.

Assim aproveito para te conhecer um pouco mais.

:)

Beijo meu em ti bem doce

entre linhas disse...

Poema com uma carga emotiva muito grande,revela que quem o escreveu é muito sensível e vive as palavras como se da sua própria vida se tratasse.

Bom fim de semana

Bjs Zita

littledragonblue disse...

Vejo que algo se passa. Esse poema transmite de certa forma um estado de alguma dor ou perda.
Acho que não pedes muito, aliás és merecedora de muita felicidade.
Conforta a tua alma e segue o teu coração e aquilo que te faz sorrir.

Um beijinho:

littledragonblue

serenidade disse...

Cleo,
não podemos pedir nada em retribuição do que fizemos, porque o fizemos com o nosso Amor e, muitas vezes, sem nos terem pedido. É claro que dói muito constactarmos que todo o carinho, amor e atenção empenhado foi esquecido por outrém, mas é preciso ter calma~, não desesperar e nao exigir nada dos outros, afinal dá-se o que se quer dar e nada mais. Força amiga.

Bom fim de semana.

Sereno sorriso Primaveril.

Som do Silêncio disse...

Olá Cleo!

Muito forte este post...

As marcas ficam sempre....e não, não estás a pedir muito!

Beijo Silencioso

happiness...moreorless disse...

Não sou mão, não posso saber muito bem do que falas. Mas não, não é pedir muito. Às vezes os filhos não percebem bem os pais...mas é só uma fase...

Apesar de tudo o poema está muito bonito mesmo*

um beijinho

fontez disse...

poema tão maternal...
e tao triste materno...

sony disse...

Olá Cleo, hoje dia 1 de Abril e não é mentira, dediquei-te o meu canto com uma pintura nova, vai espreitar e vê se te recordas!
DEDICO-TE A TI E SE QUISERES COMENTA, ALÉM DE AINDA GUARDAR NÃO Sò NO MEU ANTIQUISSIMO BLOG COMO TAMBÉM NO MEU CORAÇÃO, o teu comentário também antigo, mas INTEMPORAL!
Um bj antigo Sony

In Loko disse...

O que escreveste querida amiga Cleo é intenso! Tem tanto de amor que enternece. Há alguma amargura espalhada mas faz parte dos conflitos entre filhos e mães. Não sei se continuas filha, eu já não sou, mas lembro-me que chateei bem os meus Pais... e sei também que nunca os quis magoar, mas fi-lo! Não te preocupes muito com isto - os conflitos entre filhos e mães -, eles acontecem por que fazem parte do crescimento, da personalidade de ambos, nas diferenças das preocupações e desejos de ambos! Isto passa... e claro que mereces toda a atenção e carinho! Beijinho grande...

Lindona disse...

Minha querida amiga:
forte, intenso triste e muito bonito este teu texto.

A minha situação é muito diferente. O meu filho não me rejeitou por completo pois todos os dias falamos e estamos juntos.

Um beijo e um abraço enormes.

deusa da lua disse...

Se por um motivo muito grave você ficar em estado de ansiedade, faça um teste, deixe a ansiedade subir, subir, subir, até o limite máximo, até onde você não pode mais suportar. Neste momento, pense. O que poderia acontecer de pior? Pronto, você já começou a encontrar uma saída. Ao falar isto para você mesmo a sua força interior começa a agir no seu cérebro e o próximo passo é relaxar. A hora é difícil, mas o pior já passou, você já conseguiu se perguntar sobre o pior que lhe pode acontecer, agora basta encher o peito de ar e falar com segurança, assim você ganha metade do caminho e parte para a outra metade como vencedor. (Paulo Baleki)
Obrigatorio visitar este cantinho...
http://www.gostos-e-desgostos.blogspot.com/

beijao e bom inicio de semana**

juvepp disse...

Cléo,
Só quem muito amou é que conhce a dor de amar. No teu caso foste até o limite, dando "tudo": o teu ser, a tua alma, os teus sonhos. Por amor tudo fizestes. Porém nem sempre os destinatários desse amor vêem o limite dessa dávida. Por vezes a pressa de crescer, o convencimento que tudo lhes é devido pode torná-los um pouco insensíveis. O jeito agora será pensares o pouco mais em ti. Não faças cobranças mas tenta não estar tão disponível. Fica bem Um beijo e força

cacharel disse...

Olá Cleó!

Conseguiste uma lágrima muita sentida no meu rosto...

Não sou mãe mas sinto muito tudo o que escreveste aqui. As relações entre pais e filhos às vezes deixam-nos sem palavras, sem atitudes, sem força para entender determinados conflitos...
Eu sinto muito, não como mãe porque não o sou, mas como filha... e às vezes, como tu, pergunto-me também... "Estarei a pedir muito?".

Beijinho sentido e perfumado*

O JACARÉ 007 disse...

Olá de novo!
Conheces o Fernando Macaco?
E a Paula Monteiro?

perola&granito disse...

Uma boa semana (curtinha...)

kumkaneco disse...

Há muita solidão e sofrimento. Muito mais que do que imaginamos, mesmo à nossa volta, próximo de nós... ou mesmo em nós.

Um sorriso, uma palavra, por vezes pode fazer a diferença. Quando não temos tempo, quando não podemos perder tempo para isto, então... que raio é que andamos a fazer aqui neste mundo?!
Que pressa é esta... Vamos todos morrer um dia, pelo menos já que o sabemos, podemos enquanto aqui estamos, aproveitar para sermos felizes.

Beijos

Escorpiana Explosiva disse...

AINDA NÃO TIVE ESSA CHANCE DE SER MÃE MAS ACHO QUE VC TEM O DIREITO DE PEDIR UM COLO TABÉM POIS ES UM SER HUMANO ASSIM COMO AQUELE A QUEM VC DEU A VIDA.DESEJO BOA SEMANA

Broken disse...

Doce Cleo,

Falas de um assunto delicado pelo qual todos nós, pais, passamos.

Como sabes sou mãe, mas antes de o ser fui filha.

Também eu, por vezes, estive "longe" dos meus pais. É o cíclo da vida.

Nascemos e somos dependentes; crescemos e temos a mania que sabemos tudo; tornamo-nos independentes e, muitas vezes, esquecemos quem foi tudo para nós.

Não sei exactamente o que se passa, mas acredito que seja uma fase que acaba por passar.

Muitas vezes digo à minha filha mais velha, em tom de brincadeira, "onde está aquela menina doce que gostava de deitar a cabecinha no meu colo, que me dava beijinhos, que conversava comigo e que à mínima coisa chamava por mim?!". Ela sorri e eu entendo.

Linda, quantas vezes não fizemos "orelhas mocas" aos nossos pais?! A determinada altura da vida, pensamos ser já conhecedores de tudo, que já não temos nada mais para aprender, que não dependemos de ninguém.

Mais tarde, acordamos para a realidade e percebemos o quanto precisamos de todos os que nos rodeiam, essencialmente, daqueles que mais nos amam - os nossos pais -.

Faz parte do facto de sermos mães/pais sentir este tipo de sentimentos.

Querida, força, muita força neste momento mais complicado e, espero, passageiro.

Muitas beijocas

Secreta disse...

Não , não pedes muito. Não preocupes demasiado , um dia , irás receber tudo isso e muito mais. A relação entre pais e filhos tem muitos altos e baixos, a fase má vai passar rápido. É o que desejo ...
Beijito.

Luiz Carlos Reis disse...

Um "poema marginal", a reflexão do concretismo. O olhar quase sempre resoluto.
Boa semana para tí e fica bem!
Amplexos!

Márcia disse...

Mais um lindo post Cleo...

Estás mais uma vez de Parabéns...

Beijinhos

SAM disse...

Nunca terei filhos na vida, mas confesso que me fascina esse amor que os pais sentem pelos filhos...nãoo entendo,faz-me confusão...mas tem o seu quê de fascínio!

beijoinho amiga e boa semana!

Aragana disse...

Cedo ou tarde tudo se compoe!

Obrigado pela visita!

Plum disse...

Nunca é pedir muito!
Poema de grande sensibilidade!Abraços!*

Papoila disse...

Ola doce Cleopatra, passei para te visitar e deixar-te um doce bjinho com o aroma das laranjeiras em flor,
Papoila Sonhadora,

Dias... disse...

Sei que todas as probabilidades estão contra mim, mas tentarei perder a minha filhota o mais tarde possivel.